sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Negro amor

Parabéns continue assim, pois quem sabe o meu ódio aumenta, ele fica mais forte e mata esse amor que sinto por você e ele deixa de ser imortal.
Às vezes me pergunto, porque amo você? Apesar dos seus defeitos você tem qualidades que nenhum outro tem, qualidades que me faz às vezes esquecer dos seus defeitos, mas hoje eles se tornaram pequenos diante dos seus erros.
Passei por várias coisas que me disse, palavras que me magoaram profundamente. Fiquei quieta, agüentei calada muita coisa, mas agora digo chega! Não quero mais ser alvo se humilhação. Lembra, eu sou um ser humano e tenho sentimentos.
As palavras são uma das coisas mais poderosas que existem. Com uma simples palavra você pode ajudar alguém, mas também pode deixar feridas, que demoram a cicatrizar. Mede suas palavras antes de dizê-las. Você não imagina o quanto é horrível ouvir injúrias, principalmente das pessoas que amamos e admiramos. Você não deve ser tão sensível como diz, pois pessoas sensíveis pensam duas vezes antes de magoar alguém. Sua grosseria o torna um animal imundo, sem sentimentos algum, insensível.
Eu odeio pessoas que se acha melhor que os outros. Então digo a você, seja mais humilde, você não é melhor que ninguém, talvez agora pior que um animal. Saiba ouvir as pessoas e suas críticas, tente entende-las. Nunca ache que só você tem a razão, só você está certo, pois você pode estar errado com suas idéias. Saiba respeitar as idéias dos outros e seus gostos. Ninguém é igual a ninguém. Não queira que todos sejam iguais a você, não queira que todos aceitem suas idéias.
Você me faz me sentir idiota às vezes por amar tanto você, odiando a mim mesma. Faz-me arrepender de um dia ter te conhecido, ter permitido você entrar na minha vida. Ter te ajudando, me arriscando, mentindo, fazendo coisas que eu jamais havia feito por alguém. E hoje me pergunto pra que? Pra ser humilhada e pisoteada como eu sou? Aquele ditado bonzinho só se fode é verdade. Ajudamos tanto as pessoas pra elas saírem falando mal de nós, como se fossemos o mal da história.
Eu não estou pedindo pra vc voltar, eu só queria que você falasse, não quero, não vai dar certo, mas podemos ser amigos. Mas você insiste em brigar, criar confusão.
Você se tornou uma pessoa que nunca quero ser. Não é mais aquele menino dócil, gentil que eu conheci, que eu me apaixonei perdidamente.
Quero um dia poder dizer, você morreu pra mim, eu não te amo mais. Tomara que esse dia chegue logo, pois eu não agüento mais.
Agora eu sei que é ela que estava com a razão o tempo todo...

(Eu)

9 comentários:

Giselle disse...

Celi,
seria esse seu nome?
Menina que blog lindo ...
Que texto, viu?
Aff, qtos sentimentos, qta coisa a ser dita, a ser discutida ...
Melhor deixar no vento, ignorar, nada dizer, com o tempo ele aprenderá e sentirá tudo o que te fez sofrer ...
Adorei seu blog e estou te linkando tá?
Se tiver problemas, me avise, ok?
Quero sempree estar passando por aki qdo postar algo ...
Um bj enrome e se cuida, viu?

Pedro Berocan disse...

Celi...
Como aceitar ser ferida, por alguém que ama? Como deixar um amor, sem se ferir?
Seria bom ter respostas.
Beijo

Danielle Kimura disse...

Olá menina!
Finalmente consegui comentar no seu blog!
Cara, foi o texto mais sincero que li até hoje nessa última semana (:
Gosto quando você escreve. Prefiro assim, seus escritos.
Olha, ainda bem que caiu sua ficha. E você percebeu que aquela é uma forma errada de amar. Temos que amar quem ama a gente mesmo.
Amar desse jeito dói, e é como se não tivéssemos amor próprio. Hoje penso assim, e sou muito feliz.
Achei bonito você falando que ainda quer a amizade dele.Não vale a pena guardar mágoa.
Ódio não é bom pra ninguém. Tente se libertar disso pra sua felicidade ser completa.

p.s: comentei da lan house, não sei se o problema era do computador do trabalho, sei lá...eu comento no blog de tanta gente.Só queria que você soubesse que eu não estava ignorando você.
Do mais, eu sei o que você está sentindo. Quem nunca teve um amor platônico?
Não sou eu que vou atirar a primeira pedra.

Beijinhos...
Se cuida =]

Anônimo disse...

é Araceli, a gente aprende com a dor como se deve amar... mas nunca devemos desistir, por mais que haja pedras no caminho.
beijo

Sarah Vervloet. disse...

Me identifiquei com o texto. Deve haver alguma semelhança entre nossa escrita... gostei disso, mas prefiro não opinar a respeito. Tudo parece estar muito claro pra você. O necessário agora é apenas o tempo, o tempo bastante para esperar mudar.

Um abraço.

Quase Trinta disse...

Ah.. o ódio e o amor andam juntinho.
Qd vc passar a sentir indiferença ai sim terá matado esse amor.

Osvaldo disse...

Oi, Celi;
Esta crónica de amor turbulento, está literáriamente perfeita...
Você consegue transmitir sentimentos próprios quando outros se sufocam por não poder se exprimir...
Essas coisas de amor só são verdadeiras quando as ondas se agitam para lembrar que ele, o amor existe.
bjs

etiania disse...

Adorei amiga, pegou pesado com o Júlio hein? Que revolução... Gostei, vamos por esses homens no lugar deles...

Ricardo Jung disse...

mulheres...

quanto mais apaixonadas, mais inúteis

ado, a-ado, essa agora é minha filosofia de vida